Marketplace é um modelo de negócio conhecido como uma espécie de shopping center virtual. É vantajoso para o consumidor, visto que reúne diversas marcas e lojas em um só lugar, facilitando a procura pelo melhor produto e melhor preço.

Mas a pergunta é, por que esse modelo de trabalho é tão popular?

Vamos exemplificar da maneira mais simples possível!

Suponha que você abriu recentemente uma loja física de óculos, semelhante à de um amigo. A diferença é que a loja dele já está estabilizada no mercado há alguns anos e num local de bastante movimento, diferente da sua. Agora imagine, seu amigo ofereceu um espaço na loja dele para que você pudesse divulgar seus produtos, em troca de uma porcentagem sobre os seus lucros.

Imaginou? Pois bem, isso é o conceito de marketplace!

Como funciona o marketplace?

O marketplace é dividido em dois níveis de acesso: um para o lojista e um para o cliente. Dessa forma, o lojista tem a oportunidade de customizar o seu mix de produtos ofertados e lidar com a organização do marketplace.

Enquanto isso, para o cliente, é como acessar uma loja virtual comum, com a diferença de que existem várias opções de lojas.

Ou seja, isso quer dizer que, na hora de fechar uma compra, o procedimento adotado é como em qualquer outro comércio virtual. Então, não é necessário redirecionar o consumidor para o site de cada loja ou fazer cobranças separadas.

O marketplace pode ser desenvolvido para um determinado segmento específico ou então trabalhar com todas as lojas interessadas, agrupando-as em segmentos, como em uma loja de departamentos.

Em alguns casos, a visibilidade dos lojistas aumenta porque os marketplaces são sites conhecidos e comumente acessados pelos consumidores.

Quais são as vantagens do marketplace?

Agora que você já compreendeu o que é marketplace e como funciona, separamos algumas vantagens sobre este modelo de venda. Confira:

Visibilidade

É mais fácil atrair o público para um website que conta com diversas marcas e produtos do que para um e-commerce de apenas uma loja. Portanto, ganha-se visibilidade através da divulgação feita por todo o marketplace.

Baixo investimento e alto retorno

Exige-se um baixo investimento para começar as vendas através de um marketplace e o retorno obtido pode ser alto de acordo com o sucesso das vendas.

Diversificação de público

O público que acessa o marketplace é muito variado. Ou seja, muitos deles nunca procurariam pela sua loja. Mas, ao ver os produtos todos em um mesmo lugar, podem acabar se interessando.

Quais as desvantagens do marketplace?

Embora o marketplace seja um ótimo modelo de vendas, há também algumas desvantagens para os lojistas. Por isso, fique atento também em relação às dificuldades. Veja só:

Depender do marketplace

Um grande perigo é ficar dependente do marketplace e não conseguir vender por conta própria. Então, isso pode ser um grande problema em casos de imprevistos em relação ao marketplace.

Pouca importância para a sua marca

Por estar exposto com várias outras marcas, a importância e o reconhecimento que você recebe por não ser tão bom quanto nas vendas pelo seu próprio site.

Competição pelo preço

Em marketplaces com muitas lojas de um mesmo segmento pode acontecer de ter tantas opções diferentes que o preço se torna um fator diferencial. Pois, a competição pelo preço nem sempre é vantajosa.

Lucro no marketplace

Com tantos gastos para gerir um site, tais como hospedagem, TI, manutenção etc., uma das grandes questões para quem pensa em ter um marketplace é: como lucrar?

Existem algumas formas de fazer isso e aqui vamos falar de três principais:

Comissão: é o jeito mais comum para que marketplaces monetizem e lucrem. A comissão geralmente é cobrada na forma de um percentual sobre a venda – podendo variar de acordo com o tamanho dela. Pode também basear-se em uma taxa fixa.

Freemium: o marketplace é oferecido de graça, sem comissão sobre as vendas, mas cobra um valor sobre ferramentas premium. Essas podem ser desde algo que melhore a visibilidade ou que ofereça um serviço de entrega, etc.

Assinatura: a assinatura também entra como uma opção, podendo ser mensal ou anual, principalmente se não tem como intermediar as transações dos negócios que estão hospedados.

Conclusão

A grande verdade é: não existe fórmula perfeita. O marketplace pode funcionar perfeitamente para alguns nichos e não performar tão bem em outros, em consequência de uma série de fatores. Nada impede sua empresa de ter um e-commerce, mas também invista em marketplaces, até porque ao colocar essas duas ações para caminharem juntas, seu negócio irá colher as facilidades e benefícios geradas por ambas.

O marketplace é um atalho relativamente mais rápido para levar seus produtos de encontro aos seus clientes, mas é importante não descuidar do caminho do seu negócio, caso você possua um e-commerce.

Analisar o momento da sua empresa, a maneira mais bem trabalhada com o público, e claro, seus produtos.

Artigos Relacionados

Principais tipos de integração de um sistema ERP

Principais tipos de integração de um sistema ERP

Buscar soluções de gestão robustas e eficientes é indispensável hoje em dia, mas, com a quantidade de operações que a ferramenta precisa realizar, é preciso atentar para os tipos de ERP, bem como conhecer as diferentes formas de integração, desmentir mitos, entender...

read more
Você já ouviu falar em Mobile First?

Você já ouviu falar em Mobile First?

Você já ouviu falar em mobile first? Esse conceito vem ganhando cada vez mais destaque nos projetos digitais e mercado de eventos. Ele afeta diretamente as ações de marketing desenvolvidas nos ambientes online e está transformando o modo de as empresas...

read more
O Que é Briefing?

O Que é Briefing?

O termo Briefing não tem uma tradução específica já que é uma palavra que vem sendo usada em sua forma original mesmo na língua portuguesa. Porém podemos levar em conta o verbo inglês To Brief que significa resumir, portanto, o briefing se trata de um resumo, um...

read more
Abrir Chat
Precisa de ajuda?
Olá, como posso te ajudar?